Feeds:
Posts
Comments

Archive for September, 2011

Recentemente uma série de fatores tem me atormentado deveras por razões que não valem ser mencionadas ao longo desse texto. Primeiro de tudo gostaria de esclarecer que minha vida não anda fácil, minha solidão anda aumentando (talvez, por culpa própria)e minha vida pessoal anda parada, mas acima de tudo meu trabalho me estressa.

São reclamações pessoais que muitas pessoas tomariam como bobas, pois precisamos enfrentar nossos próprios problemas a fim de conseguirmos achar nosso caminho. Esse seria o mais maduro à se dizer e largar osvelhos hábitos de criança. Se despojar de tudo o que remeta ou o que lenbre o prazer adolescente. Tudo aquilo que não é ligado à vida adulta deveria ser jogado para trás e deixado esquecido na memória.

A vida é feita de momentos e, particularmente este está sendo um caos. Um saco e uma dor terríveis para mim. Estou tentando muda algumas coisas e criar novos interesses dentro dos meus hobbies e tentar repensar certas coisas, mas as coisas parecem me esmagar vez por outra.  Dizem que a vida costuma ser uma sucessão de estados físicos e químicos e somos bolas de reações químicas. Pena que eu prefiro tentar compreender meus sentimentos por meio dos meus estados do que apenas classificar as mudanças de estados químicos, afinal, se fosse assim e poderia me dopar com as mais variadas fórmulas de maneiras diferentes e meus estados poderiam ser resolvidos e minimizados, mas o trabalho da compreensão do mesmo, infelizmente, vale tanto quanto os remédios. Não confio na terapia na qual eu tive já minha experiência e, sinceramente, perdi a fé por saber que ela é uma solução provisória e nem sempre outras pessoas podem ler seus estados com perfeição sendo a medicina muito mais interessante nesse caso.

A quantidade de contradições ou problemas vêem crescendo nos últimos anos e isso pode ser uma sucessão de acontecimentos financeiros, problemas familiares, falta de recursos que causam stress e preocupação e podem ser minimizados se tratados devidamente com as fórmulas adequadas ou podem ser tratados solucionando os problemas ou encontrando válvulas de escape adequadas. Uma delas se chama hobby e uma das principais funções do hobby é estimular a mente a esquecer dos problemas reais. Muitas vezes as pessoas chamam isso de covardia ou irresponsabilidade, mas o hobby, acredito eu, é um tratamento de choque para aqueles cuja saúde mental está prejudicada por certas circunstâncias.

Livros, histórias, mangás, RPG, vídeo-game. Muitas dessas coisas são consideradas brinquedos por várias pessoas, mas a verdade é que elas são válvulas de escape. O hobby pode ser qualquer coisa desde uma prática (como escrever textos ou costurar), um tema pelo qual você se interessa ou mesmo algo do qual você procure informações. É algo que você goste e dedique seu tempo livre a fazer, se ocupar com aquilo. Programas específicos ou um tipo de diversão do qual vc tenha interesse pode ser um hobby. Beber, comer ou pesquisar sobre tal pode ser um hobby , mas é bom manter em mente que só aquilo com o qual nos identifcamos e constantemente voltamos a fazer, ver ou nos ocupar é realmente um hobby.

Hobbies podem mudar ao longo de nossas vidas dependendo das circunstâncias nas quais nos inserimos ou da idade e do contexto em que integramos. Momentos diferentes, comunidades e pessoas podem trazer novos interesses. Um hobby não é necessaramente algo imutável e nem duradouro, mas é algo que nos faz sentir bem e nos traz prazer dependendo de nossa idade, condição social ou contatos, mas para ser um hobby há de se haver identificação, pois sem isso podemos apenas dizer que é um pequeno passa-tempo e/ ou uma distração. A dedicação à um hobby é mais que apenas isso. Há pessoas que os encaram como metas de vida ou mesmo modos de vida.

Não necessariamente um hobby precisa ser assim, mas o verdadeiro hobbista, aquele que respira e consome esse tipo de coisa, irá se dedicar de corpo e alma e leavará muito a sério seu “passa-tempo” . Para ser um “hobbista”  ou para poder se dizer digno de ter um hobby algumas condições precisam ser preenchidas:

– Gostar do que faz, lê ou assiste.

– Dedicação, conhecimento e paciência para com seu objeto ou ocupação.

– Não tratar daquilo que gosta apenas como algo ocasional ou mesmo de pouca importância.

– Saber que as tendências mudam e acompanhar os movimentos dos hobbies.

Claro pode haver, como eu já disse, uma mudança de interesses devido à idade ou à falta de interesse por meio daqueles cuja identificação com o grupo anda defasada ou mesmo as mudanças e o objetivo ou mesmo o mercado daquilo que se gosta altere-se deveras. Assim, a pessoa pode acabar perdendo interesse e buscando outras ocupações e ter sido um hobbista pelo tempo que passou e aproveitou um assunto ou algo que ele gostava enquanto havia identificação com o grupo e/ ou com o objeto em questão.

Meu hobby atualmente é anime e mangá e durante muito tempo eu tinha um interesse ou um contato com aquelas pessoas que gostavam sem dar tanta atenção, pois eu gostava mais de RPG como um geral e o vídeo-game me parecia mais atrativo. Embora ambos fossem mais passatempos que hobbies apesar do imenso gosto pelo RPG em si. Eu tinha pouco conhecimento dos objetos tratados ali na época em que comecei como um membro de um “clã” de 20 ou 30 pessoas que se reuniam em um fórum dedicado à um mangá só: Shaman King.

Era a febre da época e meu desenho animado favorito, mas eu mal tinha consciência do mercado gigantesco. Freqüentava eventos sem saber que cosplay era uma prática e com pouquíssimo conhecimento sobre esse mercado. Anos se passam, entro em um fórum e recrio interesse por animê e mangá e cultura visual Japonesa incluindo as famosas séries live-action. Estou ingressando em uma idade adulta, mas tenho intenção de iniciar uma carreira em cosplay  Talvez, pela pouca repercussão para se criar novos contatos e amizades que uma prática solitária e sedentária como ler mangás tenha à oferecer. Portanto, abdicarei de certos mangás e certas coleções, mas não de continuar lendo na internet para poder expandir meus horizontes e tentar me integrar ainda mais a esse universo.

Isso não me faz menos hobbista por abrir mão por algo, mas faz com que expandindo meu universo para outros horizontes eu crie certos interesses ligados à esse universo que me façam mudar de parâmetros e do foco em que gasto meu dinheiro, as continuarei pesquisando sobre anime e mangá e lendo na internet. Apenas deixarei de adquirir tantos volumes físicos.

Mas o site continuará ativo, pois minha fome por animê e mangá é muito grande.

Read Full Post »

Air Gear

Primeiramente digamos que depois de muito tempo tentando resenhar mangás dos mais diversos tipos resolvi voltar às “origens” e falar mais despretensiosamente de uma série que é considerada puro fã-sevice. Para quem não sabe fã-service são elementos baratos em mangás que servem para a se referenciar à obras famosas ou mesmo usar-se de clichês ou técnicas baratas que atraiam fãs do gênero por uma jogada de marketing barata como material pornográfico e graturito, violência pura, comédia pastelão, roteiro clichê muitas cenas típicas aliemtando-se apenas de um caça-níquel atrás dos fãs mais consumistas. Supostamente é um mangá para quem não tem o mínimo de noção e senso crítico do que deveria ser um bom mangá e tem uma apelação comercial evidente por seus elementos extremamente comerciais.

E eu descobri um desses mangás mês passado. Ou melhor ele foi lançado mês passado, mas eu descobri só esse mês. Seu nome é Air Gear. Um mangá sobre Gangues, esporte, violência, superação pessoal. O mangá típico shonen, talvez, mas porque ele pode ser clasisficado como fã-service?

O primeiro motivo e mais evidente é o fato de todas as suas mulheres serem lindas e a presença de cenas com teor sexual evidente presentes de maneira freqüente.  Isso occorre em outra obra dele:  Tenjho Tenge em que há muitas cenas de sexo e estupro. Em Air Gear essas cenas ainda não apareceram nas edições publlicadas até agora no Brasil, mas elas irão aparecer em breve. Dentre outros elementos característicos estão: mulheres muito gostosas, violência gratuita (luta de gangues e situações que estão lá para mostrar todo o poitencial de Oh!Great como desenhista). Ele é um dos grandes prodígios em arte e, geralmente, suas histórias clichês se sustentam muito pela sua exuberante arte.

Air Gear começa com Ikkitsuki batendo em alguns arruaceiros que mexeram com sua gangue e com o intuito de vencer uma disputa anual pelo território do leste e do oeste da cidade. Após ser chamado por uma das garotas que o abrigam em uma casa na qual ele é hóspede há a ameaça a seu clã por parte dos garotos derrotados aos membros de sua gangue. No dia seguinte, movidos pela covardia, seus capangas entregam Ikkitsuki ou Ikki para um bando de Storm Riders associados à gangue derrotada que disse que iria ter sua vingança em cima dos Guns do Leste.

Storm Riders são gangues que usam os Air Trecks (patins turbinados para fazer manobras radicais) e que praticam atos de violência e vandalismo por causa da força e velocidade que os air trecks lhe proporcionam.  Note que o Air treck é tratado mais como uma arma do que como um esporte e mesmo as diputas oficiais são mais parecidas com lutas motorizadas que uma corrida ou disputa de manobras. Tudo em Air Treack tem aquele ar de emergência, violência e muita adrenalina, mas não corresponde ao esporte verdadeiro que está longe de ser violento ao ponto que o mangá apresenta. Evidentemente , sozinho e abandonado por sua gangue ele acaba sofrendo uma grande humilhação e derrota.   Ikki, ao voltar para casa ompletamente desmotivado e humilhado,  tem um sonho com suas colegas em que elas o ensinam a usar o Air Treck e depois de algum tempo ele começa a treinar por conta própria para se tornjar um grande air trekker. Isso porque o Air Treck (repito novamente) lhe trará vantagens combativas como força humana e velocidade espantosa.

Outros elementos que podem ser identificadso são homens com uma personalidae forte, mulheres manipuladoras e meigas. Há, também, na cena em que Ikki é derrotado ao ser elevado  por um dos membros à uma altura considerável e virado de cabeça pra baixo (como um pilão, aliás é um pilão o golpe que alicam contra ele com o uso do Air Treck). Tal violência da cena no mangá não se repete quo animê fiacando chocha enquanto no mangá ela é aterrorizante.  Ikki mija em suas próprias calças nessa cena; o que a torna mais chocante ainda. O grande problema do animê é sua baixa produção e sua censura que acabaram cortando cenas cruciais para a identidade violenta e visceral de Air Gear e sua identidade visual exuberante de uma pena competente e muito detalhista.

Para resumo da ópera e não continuar dando Spoilers sobre a história:

A história giram em torno de kki tentando dominar a arte do Storm Riding para poder se tiornar mais forte e superar a gangue ocmposta por suas colegas de casa. Um mangá que é cheio de violência, nudez, palvrões e cenas de ação, mas que funciona e muito bem!

Ikki: Se você é homem você vai ler e vai gostar, mas se for maricas vai falar que é um mangá idiota. XD

Read Full Post »